Como calcular a lombada de um livro

Acredite se quiser, mas no início da década de 90, no distante século vinte, não existia computador com programas para auxiliar o designer na produção de algum material gráfico. Aliás, nem existia computador. Pelo menos não ao alcance de um simples mortal como eu.

O trabalho era feito à mão mesmo, quase artesanal. Ou seja, o monitor daquela época era o próprio papel.

Quando a gente criava um capa de livro, por exemplo, uma das coisas mais enjoadas era calcular a largura da lombada. Algo que se fazia muitas vezes no olho.

Para isso, você tinha que saber o número de páginas, se a capa seria dura ou flexível, levar em conta a gramatura do papel, mergulhar em fórmulas matemáticas e finalmente rezar para que o título e o autor do livro, que quase sempre é colocado na vertical, ficassem ali certinhos, bem no meio da lombada.

Se por um lado isso pudesse representar uma tarefa pouco criativa, por outro lado a vida sem computador forjava no profissional em design um olhar mais apurado.

Hoje a coisa está bem mais fácil. Podemos deixar a matemática de lado. E para facilitar ainda mais há alguns sites de gráficas e lojas de impressão que ajudam a resolver esse problema.

Vários deles trazem uma calculadora online que determina as dimensões da lombada. Basta inserir o número total de páginas, escolher o tipo de papel, selecionar as dimensões da capa e pronto. Imediatamente ela indica a largura.

Nos sites americanos as medidas são em polegadas (às vezes os americanos gostam de complicar a vida da gente, e por isso não trabalham com milímetros ou centímetros). Mas há também alguns endereços em português.

Em inglês, a diggypod, a gutenberg e a printninja, por exemplo, dão um bom auxílio.

Em português, você pode obter uma estimativa na deltaprint e na mona lisa.

É claro que, dependendo da complexidade do seu projeto, o ideal é checar esses valores diretamente com a gráfica onde seu livro será impresso. Até porque todas elas tem seus próprios métodos e procedimentos de produção.

Mas sempre considere que um livro com menos de 70 páginas é muito fino para se ter lombada.

Isso me faz lembrar de uma crônica divertida do saudoso João Ubaldo Ribeiro, onde ele escreve que seu avô não levava a sério livro que não ficasse em pé sozinho: “Isto é merda.”, dizia o velho. “Estas tripinhas que não se sustentam em pé não são livros, são uns folhetos”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *